Construflama - A Arte e o prazer do fogo

Consulte nossos itens em promoção!
Entre em contato conosco: (11) 5171-6070

Marcelo Novais na Casa Cor 2011
Tocheiro a gás Construflama

Ricardo Rossi na Artefacto B&C 2012
Churrasqueira a gás Construflama

Simone Goltcher na Casa Cor SP 2013
Lareira suspensa Construflama

Letícia Ruivo na Casa Cor SP 2013
Lareira Ecológica a álcool Construflama

João Armentano na Mostra Black 2013
Lareira a gás Construflama

Ana Maria Vieira Santos na Artefacto B&C
Lareira a gás Construflama

Patrícia Martinez na Casa Cor SP 2013
Lareira suspensa Construflama

Ricardo Rossi na Casa Cor SP 2012
Tocheiro a gás Construflama

Tocheiro a gás em aço Corten.
Jardim de Ana Paula Paolinelli na Casa Cor Minas

Lareira Tarus
em ambiente de Paola Ribeiro na CasaCor 2014

Lareira Ecológica a álcool
em abiente de Ricardo Rossi na CasaCor 2014

Lareira suspensa modelo gota em Aço Corten
Katia Perroni

Lareira suspensa modelo gota em Aço Corten
Carlos Warchavchick

Churrasqueira a carvão e Forno a lenha
Carlos Warchavchick

Lareira ecológica à álcool Construflama
Gilberto Elkis - CasaCor 2015

Spa Kennzur traz lareira Construflama em paisagismo de Alex Hanazaki


Produtos e serviços

29/07

Demian Golovaty


Projetado dentro numa área de 1.000 m2 na Avenida República do Líbano, bem próximo ao Parque Ibirapuera, em São Paulo, o spa Kennzur foi planejado pela arquiteta Zize Zink e pelo paisagista Alex Hanazaki. O conceito central foi o de proporcionar conforto e bem estar para clientes e todos que trabalham e circulem por lá, além de manter processos altamente sustentáveis em todos os ambientes.

As salas de tratamento ganharam sistema automatizado, com controle da iluminação, de temperatura e válvulas inteligentes. Além disso, há espaços para saborear chás e ervas aromáticas, para desfrutar a água e ainda área de leitura, clientes com dificuldade de locomoção ganharam uma sala exclusiva.

Nos espaços ao ar livre, o privilégio é desfrutar a natureza e contemplar os elementos. Boa parte de árvores e plantas que já habitavam o terreno foram mantidas ou replantadas entre os espelhos d’água, criados para proporcionar frescor. Para manter o conforto do jardim mesmo em dias mais frios, foi criado um firepit com uma lareira a gás Construflama. A contemplação do fogo também induz o relaxamento proporcionando a tranquilidade necessária aos tratamentos.

Para completar esse tratamento de beleza total, todos os tecidos do Kennzur – dos estofados na recepção às mantas nos espaços de tratamento – são 100% algodão e feitos em tear manual. Trabalho da designer Zizi Carderari, da Avelos, junto a artesãos da cidade mineira de Carmo do Rio Claro.




Para a revista Casa e Jardim lareiras são bem-vindas em todas as estações


Produtos e serviços

21/07



Matéria sobre Estilo e Inspiração na revista Casa e Jardim, traz diversas lareiras e diz que:

“As lareiras são itens de decoração capazes de somar funcionalidade e estética. Em resumo são bem-vindas em todas as estações.”



Casa e Jardim


Casa do Bosque de David Bastos é Capa da Revista Arquitetura e Construção.


Produtos e serviços

24/06

Caio Amaral


Na edição de junho a revista Arquitetura e Construção traz em sua capa a Casa do Bosque de David Bastos, que recebeu lareiras Construflama para dividir e aquecer os ambientes.

Com 74 m², pavilhão de David Bastos tem brises e armação de madeira de reflorestamento. A proposta funcional pode ser adaptada a diversos climas e paisagens do Brasil.

Não à toa, o espaço criado pelo arquiteto baiano, que mantém escritório também na capital paulista, chama-se Casa do Bosque. Inserido num trecho verde do Jockey Club de São Paulo (que recebe a Casa Cor), o pavilhão se vale dessa localização especial. Para elevar a construção a 35 cm evitando terraplanagens e a impermeabilização do solo, David Bastos e sua equipe prepararam uma fundação leve, e dela ergueram a armação de madeira de reflorestamento, que define quarto, sala, cozinha e banheiro. Mais do que pano de fundo, o paisagismo implantado ali perto por um colega (as passarelas que conduzem à obra integram o jardim de Gilberto Elkis) enriqueceu o projeto – chapas de vidro protegem a estrutura nas laterais e até no teto, liberando a visão do entorno.

Enormes brises, também de madeira laminada colada (MLC), somam-se às superfícies transparentes. Móveis, eles dosam a entrada de luz e calor com belo toque de eficiência e originalidade. O arquiteto ainda se baseou nas dimensões de conforto e racionalidade apregoadas pelo mestre franco-suíço Le Corbusier (1887-1965) ao estipular que os ambientes, o pé-direito, as esquadrias e os próprios módulos do esqueleto fossem múltiplos de 70 cm.



Arquitetura & Construção


Olegário de Sá recebe convidados na Casa das Árvores.


Produtos e serviços

22/06

Caio Amaral


O arquiteto Olegário de Sá recebeu convidados na Casa das Árvores, espaço assinado por ele e seu sócio, Gil Cioni, na Casa Cor São Paulo na última quarta-feira (17).

A Casa das Árvores além de linda se mostrou ideal para receber muitos convidados.

O espaço foi todo construído visando a sustentabilidade energética.“Utilizamos vidros Ultra Clear da Guardian porque eles mudam de cor conforme a iluminação natural, diminuindo o uso de energia, assim como a lareira a álcool da Construflama, são a tendência mundial para nova Arquitetura e Decoração em todo o mundo atual. ”, conta Olegário.




Revista Arquitetura e Construção publica projeto de Dado Castelo Branco na Casa Cor com Lareira Construflama


Produtos e serviços

18/06



Lareira Tarus Construflama aquece e embeleza a Casa do Flamboyant de Dado Castelo Branco na Casa Cor e ganha matéria na edição de junho.

Técnica e economia em nome da beleza: a decisão de conceber um pavilhão tão agradável como guiado pela sensatez no emprego dos recursos naturais cresceu e se desdobrou durante o planejamento da obra. Projeto de Dado Castello Branco.

Diante do arvoredo da Casa Cor, ergue-se a morada que associa visual contemporâneo a obra seca e atesta a viabilidade desse tipo racional de empreitada. Mas nem por isso a ideia elaborada pelo arquiteto Dado Castello Branco, que costuma se esmerar também nos interiores, perde em sensibilidade.

Considerando que, hoje, a vida requer economia de recursos e adequação a metragens exíguas, ele concebeu a Casa do Flamboyant como um lugar de convivência descontraído e orientado pela natureza.

Pronta em sete dias, a armação de perfis de aço elevou a construção a 55 cm do terreno, aproximando-a da copa das árvores e afastando a típica umidade ascendente. Práticas, as chapas cimentícias se encarregam de compor as paredes – depois protegidas externamente por um mosaico de pedras. Na cobertura, telhas metálicas garantem o isolamento termoacústico. O arquiteto ainda estipulou enormes esquadrias de alumínio, num convite à insolação caprichada e à ventilação cruzada, que, por sua vez, dispensa o ar-condicionado.

Por iniciativa da equipe de engenharia, a proposta não só alcançou como também superou a qualidade do método: além da agilidade da montagem, 80% dos resíduos serão reaproveitados. Assim, pisos, decks, caixilhos, vidros, perfis e outros itens servirão a uma segunda jornada.



Casa Abril